VoltarTodos os artigos
Rita Quaresma
Revisto por Rita Quaresma
Rita Quaresma

Formei-me em Gestão em 2007 e sou Analista de Crédito desde então. Trabalho há mais de 5 anos na Gestlifes, onde já ajudei centenas de famílias a encontrarem as melhores soluções para as suas finanças.

Empréstimos Particulares: Quais os Riscos ao Pedir Dinheiro?

Banco de Portugal

Gestlifes é uma marca JPCOM, intermediário de crédito vinculado e autorizado pelo Banco de Portugal nº1409.


Quer pedir dinheiro emprestado a um conhecido ou recebeu uma proposta de empréstimo tentadora de um particular?

Se está a considerar esta opção, conheça primeiro como funcionam os empréstimos particulares em Portugal.

Com este guia da Gestlifes vamos esclarecer ao detalhe esta variante dos empréstimos, quais os riscos associados e as alternativas que deve ter em conta.

Empréstimos Particulares

Os empréstimos particulares são financiamentos que ocorrem entre indivíduos particulares, isto é, que não são realizados por entidades financeiras reguladas e legalizadas pelo Banco de Portugal.

Nos empréstimos entre particulares, existe um acordo do montante financiado, prazo para pagamento, taxas de juro associadas e garantias (por norma um automóvel ou uma casa).

Estes são vistos como alternativas aos créditos pessoais, ainda que, tenham riscos e condições diferentes.

Para fins legais, este tipo de empréstimo deve ser formalizado através de um contrato de mútuo, assinado por ambas as partes, e ondem constam todas as características do financiamento.

Um contrato de mútuo ocorre entre um mutuante e um mutuário, e é uma formalização de um acordo onde existe a cedência de um bem móvel, como por exemplo, o dinheiro.

Perante a lei, um contrato de mútuo é visto como:

Mútuo é o contrato pelo qual uma das partes empresta à outra dinheiro ou outra coisa fungível, ficando a segunda obrigada a restituir outro tanto do mesmo género e qualidade.


Fonte: Artigo nº 1142 do Código Civil

Esta é uma solução mais utilizada nos empréstimos particulares, e tem algumas particulares consoante o valor em causa:

  • Igual ou inferior a 2.500€ – A lei não exige acordo por escrito e um acordo verbal é suficiente;
  • Entre 2.500€ e 25.000€ – É necessário formalizar o contrato por escrito onde inclua os dados pessoais, as condições do empréstimo e assinatura de ambas as partes;
  • Superior a 25.000€ – Apenas é válido com uma escritura pública ou documento certificado.

No contrato de mútuo também ficam registadas as taxas de juro, que não podem exceder os 3% caso exista um bem como garantia, ou 5% caso não exista garantia associada.

Se existir incumprimento, o mutuante pode exigir o valor total emprestado, com juros de mora até 9%.

Particulares Portugueses Que Emprestam Dinheiro Riscos

Antes de mais, deve entender que se pedir dinheiro emprestado a um particular português, este indivíduo não é controlado pelo Banco de Portugal.

Com isto, tem de contar que a entidade reguladora não pode intervir caso exista algum problema associado.

Mesmo existindo um contrato de mútuo, pode correr o risco de cair num tipo de financiamento aparentemente fácil, mas com maior probabilidade de incumprimento e de consequências elevadas para si.

Na verdade, os empréstimos particulares estão muitas vezes associados a dois acontecimentos:

  • Alguém que precisa de dinheiro para pagar dívidas e procura uma alternativa “fácil”;
  • A esquemas de burlas de crédito, associados a empréstimos particulares promovidos como “sérios” e “fáceis”, que acabam por piorar a situação da pessoa endividada.

Como não existem soluções fáceis de dinheiro, é sugerido primeiro que recorra a todas as entidades reguladas pelo Banco de Portugal e tente obter uma solução através destes meios.

Isto é, se precisa de um empréstimo não procure nas redes sociais, grupos privados ou marketplaces, onde por norma são sugeridos financiamentos particulares.

Saiba ainda que a Gestlifes é um intermediário de crédito e trabalha com a maior parte das entidades financeiras de crédito portuguesas, por isso, vamos apresentar-lhe algumas alternativas aos empréstimos particulares portugueses.

Nem sempre é fácil encontrar aquela que é a solução certa para o nosso caso, ainda assim, dificilmente o empréstimo particular é a alternativa ideal.

Mas quais são as alternativas? Vamos saber de seguida.

Credito Pessoal Como Alternativa Empréstimo Particular

Um empréstimo pessoal garante-lhe um financiamento junto de uma entidade regulada pelo Banco de Portugal, e que pode pagar às prestações durante um prazo definido.

Na teoria pode pensar que o funcionamento é o mesmo que um empréstimo entre particulares, mas na prática, vamos perceber que são grandes as diferenças.

Sempre que pede um crédito pessoal tem:

  • Uma entidade reguladora, também conhecida como Banco de Portugal, que monitoriza o mercado;
  • Várias normas que protegem o consumidor nas condições de contrato;
  • Inúmeras instituições financeiras legais, com ofertas competitivas e até com créditos urgentes;
  • Possibilidade de pedir financiamento sem dar uma garantia como retorno;
  • Intermediários de crédito que comparam o mercado gratuitamente para si.

E, como são muitas as ofertas, que variam nos montantes e nos prazos que podem chegar até 120 meses, começar por este tipo de financiamento é sempre o primeiro passo caso procure um financiamento.

Como referenciámos anteriormente, a Gestlifes de forma gratuita pode analisar a sua situação e caso precise de um financiamento, temos em conta o mercado português e indicamos-lhe a solução apropriada.

Credito Consolidado Como Alternativa Empréstimo Particular

Imaginado que está numa ruptura financeira, com vários créditos em carteira e tudo o que quer é um financiamento extra para pagar estas dívidas.

Sabia que pedir um novo empréstimo pode nem sequer ser a solução ideal?

Uma consolidação de créditos destina-se a todas as pessoas com vários empréstimos em mão e com vista a reduzir os encargos mensais. Mas, como é isto possível?

Neste caso, vai juntar todos os financiamentos e com isto vai conseguir:

  • Reduzir as taxas de juro;
  • Aumentar os prazos de pagamento;
  • Pagar apenas a uma entidade;
  • Conseguir uma redução elevada na mensalidade.

Esta redução chega em muitos dos casos a 60%, e por isso, que muitas das vezes, pedir um crédito nem é a sugestão ideal

A Gestlifes pode ajudá-lo também nesta situação. Diariamente ajudamos várias pessoas neste tipo de restruturação e indicamos-lhe a entidade financeira certa para fazer esta consolidação.

Se procura um empréstimo particular sério, mas o propósito é para pagar outras despesas, existem ainda outras alternativas.

Nem sempre vai ser possível pedir novos financiamentos, isto porque, existe uma taxa de esforço que quando é ultrapassada, os bancos não conseguem emprestar-lhe mais dinheiro.

Com isto, o Banco de Portugal criou o Plano de Ação para o Risco de Incumprimento (PARI) e o Procedimento Extrajudicial de Regularização de Situações de Incumprimento (PERSI).

Estes são programas de combate ao endividamento que podem ser uma melhor alternativa a um empréstimo particular. Isto é, pedir créditos sobre créditos nos quais não consegue pagar a curto prazo, é um passo muito próximo de uma insolvência pessoal.

💡 Ler Mais: Preciso de Dinheiro Para Pagar Dívidas: Conheça as Soluções

Como é possível que esteja à procura deste tipo de financiamento na internet, o clima de incerteza é elevado. Isto é, não sendo uma instituição legal, não tem 100% de certeza do que esperar.

Por isso, a resposta a esta pergunta é: um empréstimo particular não é uma boa solução.

O risco elevado de tentar encontrar um empréstimo particular online não compensa o possível retorno que possa ter.

Tendo em conta que existem entidades financeiras legalizadas e também com financiamentos rápidos, as condições de contrato são mais baixas e também encontra uma maior proteção enquanto consumidor.

Adicionalmente pode obter ajuda sem qualquer custo ou compromisso para si, por isso, opte primeiro por instituições que são reguladas pelo sistema bancário em Portugal.

Como funcionam os empréstimos particulares em Portugal?

Os empréstimos particulares são financiamentos que ocorrem entre indivíduos particulares, isto é, que não são realizados por entidades financeiras reguladas e legalizadas pelo Banco de Portugal.

Estes são vistos como alternativas aos créditos pessoais, ainda que, tenham riscos e condições diferentes.

Para fins legais, este tipo de empréstimo deve ser formalizado através de um contrato de mútuo.

É seguro pedir um empréstimo particular?

Na maioria dos casos, pedir um empréstimo particular não é uma boa solução.

Tendo em conta que existem entidades financeiras legalizadas e também com financiamentos rápidos como o crédito pessoal ou um crédito consolidado, o elevado risco associado e o perigo de cair num esquema de burla acaba por não compensar.

Adicionalmente pode obter ajuda da Gestlifes na procura de financiamento,  sem qualquer custo ou compromisso para si, por isso, opte primeiro por instituições que são reguladas pelo sistema bancário em Portugal.

Quais os cuidados a ter nos empréstimos entre particulares?

Os empréstimos particulares estão normalmente associados a dois acontecimentos:

  • Alguém que precisa de dinheiro para pagar dívidas e procura uma alternativa “fácil”;
  • A esquemas de burlas de crédito, associados a empréstimos particulares “sérios” e “fáceis”, que acabam por piorar a situação da pessoa endividada.

Mesmo existindo um contrato de mútuo, pode correr o risco de cair num tipo de financiamento aparentemente fácil, mas com maior probabilidade de incumprimento e de consequências elevados para si.

Quais as alternativas aos empréstimos particulares?

Nem sempre é fácil encontrar aquela que é a solução certa para o nosso caso, ainda assim, dificilmente o empréstimo particular é a alternativa ideal.

Neste caso pode:

SIMULAR AGORA! SIMULAR AGORA!