Artigos

Mudar Para Taxa Fixa: Compensa Em 2024?

Com o aumento da Euribor, está indeciso entre taxa fixa ou variável no crédito habitação? A Gestlifes ajuda-o a decidir se vale a pena mudar.
Crédito até 75.000 €
Apoio Personalizado
Dinheiro na Conta em 48 Horas
Avaliação Google 4.8
Baseado em 294 Comentários
Reduza a Prestação ao Banco
Saiba quanto pode poupar ao transferir o crédito habitação.
Pedido Recebido!
A equipa da Gestlifes vai ajudá-lo a conseguir o seu crédito. Acelere já o seu processo online ou aguarde o contacto de um especialista de crédito!
Continuar
O montante em dívida não permite pedir dinheiro extra.
O montante em dívida não permite pedir dinheiro extra.
Indique os seus dados
Banco de Portugal
Gestlifes é uma marca JPCOM, intermediário de crédito vinculado e autorizado pelo Banco de Portugal nº1409.
Deve colocar o seu nome para prosseguir.
Campo válido
Deve colocar um e-mail válido.
Campo válido
Deve colocar um número válido.
Campo válido
Deve escolher uma opção.
Campo válido
Deve aceitar os termos e condições para prosseguir.
Campo válido
Somos certificados pelo Banco de Portugal e já ajudámos +5.000 famílias a encontrar as melhores ofertas de crédito.

Em Portugal, a maioria dos créditos à habitação têm uma taxa variável.

Isto significa que com a escalada da Euribor, a principal taxa de referência dos bancos portugueses, as prestações vão continuar a subir.

Para um crédito habitação de 150 mil euros a 30 anos, com Euribor a 12 Meses, a prestação sobe mais 262€ (48,2%) em julho, em relação ao ano anterior.

Fonte: ECO

Posto isto, são cada vez mais as ofertas de taxa fixa por parte dos bancos, para que os clientes não estejam sujeitos a estas flutuações do mercado.

Mas será que vale a pena mudar para taxa fixa em detrimento de uma taxa variável?

A Gestlifes também pode ajudá-lo a analisar o seu caso e indicar-lhe, de forma gratuita, se compensa ou não fazê-lo.

Taxa Fixa ou Variável

Durante vários anos, entre 2009 e 2022, o indexante Euribor fixou-se em valores negativos, o que permitiu aos portugueses conseguir prestações mais baixas para comprar casa.

E agora que este cenário mudou?

Com a subida das taxas de juro Euribor, o valor da prestação a pagar ao banco cresce algumas dezenas de euros, e este pode ser ainda um cenário recorrente, em 2024.

No que toca à questão “taxa fixa ou variável?“, a verdade é que:

  • Enquanto a Euribor permitir prestações mais baixas, a taxa variável é a solução mais rentável;
  • Com a sua subida, fixar a prestação permite estabilidade no orçamento e não viver num clima de incerteza.

Ora, optar pela taxa fixa crédito habitação vai à partida pagar uma mensalidade mais cara que a atual, mas que o salvaguarda das subidas previstas da Euribor.

Vamos tomar como exemplo um crédito habitação no banco BPI, no valor de 150 mil euros e pago em 30 anos.

Taxa VariávelTaxa Fixa

Mensalidade

Taxa Variável

775,70€

Taxa Fixa

711,81€

TAEG

Taxa Variável

5,5%

Taxa Fixa

4,7%

MTIC

Taxa Variável

299.769,23€

Taxa Fixa

275.618,11€

Valores atualizados a 19.07.2023, a partir do website da financeira.

Como pode ver, à data de 19 de julho, um contrato com taxa fixa é mais vantajoso do que a taxa variável, tendo em conta o panorama da Euribor.

Mas isto não significa que seja sempre assim durante os 30 anos nos quais irá pagar o empréstimo.

Aliás, a história do mercado de crédito da Zona Euro diz-nos, precisamente, que estes períodos de aumento das taxas de juro são passageiros e tendem a ser sucedidos por uma descida.

Adicionalmente, para quem ainda não comprou casa, antes de decidir entre taxa fixa ou variável, pode ser oportuno olhar também para uma taxa de juro mista.

Esta permite ter um período de pagamento de taxa fixa, no início do empréstimo, passando depois para taxa variável.

E, como este tema requer algum estudo, pode contar com a Gestlifes para o ajudar a escolher entre a taxa fixa ou variável e assim encontrar o melhor crédito habitação.

Este serviço não tem custo e basta pedir uma análise de transferência de crédito habitação que a nossa equipa ajuda a perceber se deve ou não alterar o seu contrato.

Formalizar um contrato com uma taxa de juro variável significa que a prestação irá variar ao longo da duração do empréstimo.

O valor desta taxa resulta de dois fatores:

  • Spread – A margem de lucro do banco, definida pela própria entidade financeira. Dependendo do perfil do cliente, o spread é ajustado, podendo ser mais alto ou mais baixo.
  • Euribor – O indexante mais utilizado em Portugal. Esta é uma taxa de referência que tem como base a taxa de juros de vários bancos da Zona Euro.

Como a Euribor é calculada diariamente e não tem um valor constante, o banco acaba por rever a taxa aplicada no empréstimo e ajustar a mensalidade, caso tenha subido ou diminuído.

É possível que a revisão já esteja estipulada na oferta de crédito habitação, mas dependendo de banco para banco, pode ser escolhida por si.

Isto significa que, por exemplo, se contratar um crédito com indexante Euribor 6 meses, a prestação do empréstimo vai ser revista passado esse período.

E, caso a Euribor suba ou desça, a sua prestação também pode ficar mais pesada ou mais leve.

💡 Ler Mais: O Que é a Euribor?

Por fim, o spread também varia durante o contrato, mas apenas em momentos específicos.

Considerando que subscreveu um serviço, como um seguro de vida, para o banco diminuir o valor do spread.

Se posteriormente, decide suspender este produto, está a “quebrar” o contrato inicial, e é provável que a entidade financeira reveja esta bonificação.

Ao falarmos da taxa de juro variável é possível perceber que a grande questão está associada à flutuação do valor da Euribor.

Enquanto a Euribor apresenta um valor negativo, por norma, consegue condições de crédito mais baratas e consequentemente, prestações mais baixas.

No entanto, é inevitável que este fator seja também uma desvantagem.

Isto porque quando o valor do indexante dispara, resulta numa prestação mais pesada para o orçamento, algo que aconteceu na crise de 2008, quando a Euribor subiu até 5%.

💡 Durante muitos anos e, enquanto o valor da Euribor se encontrava negativo, os portugueses optaram pela taxa variável porque garantia uma prestação mais em conta do que a taxa fixa.

Mas este panorama é, agora, colocado em causa devido à nova subida exponencial da Euribor, e das mensalidades do crédito habitação.

Ouvimos, cada vez mais, falar da alternativa que é a taxa fixa, mas será que vale realmente a pena mudar?

taxa fixa o que é

Ao contratar um empréstimo com uma taxa fixa significa que, independentemente do que possa suceder com a taxa Euribor, a prestação que paga ao banco será sempre a mesma.

Esta é uma solução segura para todas as pessoas que não pretendam depender de uma situação volátil, mesmo que em certos momentos a taxa de juro variável permita uma prestação mais reduzida.

💡 Como oferece uma segurança extra, a taxa de juro fixa é, por norma, mais elevada do que a taxa variável.

Quando coloca uma taxa fixa, o valor final calculado é com base na taxa referência do mês que é realizado a escritura.

Sendo o valor da taxa de juro fixa definida pelo banco, vai depender de alguns fatores:

  • Risco do cliente;
  • Garantias oferecidas, como hipoteca ou fiadores;
  • Subscrição de produtos adicionais (cartões de crédito, por exemplo);
  • LTV (Loan-to-Value), a relação entre o valor do financiamento e o valor da avaliação do imóvel.

Se apresentar um histórico de pagamentos de créditos positivo e oferecer outro tipo de garantias à entidade financeira, o banco também consegue baixar a sua prestação.

Adicionalmente, os bancos também têm em conta indexantes específicos para taxas fixas e da soma destes fatores, resulta a prestação fixa a pagar.

A grande vantagem da taxa de juro fixa é a segurança que oferece perante as flutuações do mercado.

E, como um crédito habitação é pago durante vários anos, é possível que neste período de tempo a prestação sofra várias alterações.

Assim, é mais seguro proteger o orçamento com uma prestação fixa, mesmo que isso signifique pagar mais um pouco por mês.

Por outro lado, se em determinado período o indexante Euribor apresentar valores baixos, com a taxa fixa não conseguirá beneficiar de uma redução na mensalidade.

Se está decidido em alterar o seu contrato para taxa fixa, conhecer os bancos que a disponibilizam pode ser bastante útil.

Atualmente, existem entidades que permitem uma taxa fixa 30 ou 35 anos ou obter um regime misto, que oferece uma mensalidade constante durante determinado tempo, passando depois para uma taxa de juro variável:

Bancos Com Taxa FixaPrazo Máximo

Bancos Com Taxa Fixa

ActivoBank

Prazo Máximo

Até 30 Anos

Bancos Com Taxa Fixa

Banco CTT

Prazo Máximo

Até 30 Anos

Bancos Com Taxa Fixa

Bankinter

Prazo Máximo

Até 30 Anos

Bancos Com Taxa Fixa

BPI

Prazo Máximo

Até 30 anos

Bancos Com Taxa Fixa

Caixa Geral de Depósitos

Prazo Máximo

Até 35 Anos

Bancos Com Taxa Fixa

Montepio

Prazo Máximo

Até 30 Anos

Bancos Com Taxa Fixa

Millennium BCP

Prazo Máximo

Até 30 Anos

Bancos Com Taxa Fixa

Novo Banco

Prazo Máximo

Até 30 anos

Bancos Com Taxa Fixa

Santander

Prazo Máximo

Até 30 Anos

Não é possível fixar a taxa de juro a 40 anos, pelo que, se pretender um prazo de financiamento com este período, terá de optar por uma taxa mista ou taxa variável.

💡 No contexto atual, são várias as instituições bancárias com campanhas promocionais de taxa fixa no crédito habitação, como a isenção dos custos iniciais se optar por este tipo de taxa.

Pagar uma casa às prestações é, na realidade, um maior compromisso do que consolidar crédito ou pedir um crédito consumo, por isso, é natural que todo o processo seja mais complexo.

Independentemente se procura um novo financiamento ou quer melhores condições no seu contrato, a nossa equipa de especialistas ajuda-o a perceber qual a melhor solução para si.

Não cobramos qualquer valor por este serviço e apenas precisa de começar com uma simulação gratuita para analisarmos a sua situação.

Requisitos Para Taxa Fixa ou Variável

Qualquer cliente pode pedir uma alteração de taxa fixa para variável no seu banco atual, estando dependente da resposta da instituição financeira.

Legalmente, não existe um período em que é obrigado a manter uma taxa fixa ou variável no seu contrato.

No entanto, podem existir custos nestas alterações:

  • Alterar de Taxa Variável Para Fixa – Não lhe é cobrado qualquer valor pelo banco atualmente.
  • Alterar de Taxa Fixa Para Variável – Pode ser necessário cobrir custos da mudança, visto que o banco também acautelou custos no crédito habitação ao disponibilizar uma taxa fixa.

Estas são os requisitos caso pretenda mudar a taxa de juro, por isso é que grande parte das pessoas opta por transferir o contrato para outra financeira, que não só cubra os custos, como permita melhores condições e uma prestação mais baixa.

Sim, é possível mudar o tipo de taxa de juro durante o contrato.

Para quem já tem um crédito habitação, pode negociar o empréstimo com o banco atual ou então optar por transferir o crédito habitação para uma entidade financeira que ofereça melhores condições.

Esta alteração permite escolher entre uma taxa fixa ou variável, ou até mista.

Ao transferir o crédito para outro banco, a dívida com o banco atual será amortizada e começa a pagar esse mesmo montante a outra entidade financeira.

Neste processo de amortização de crédito habitação, que é tratado pelo banco, por norma existe uma comissão a pagar que varia consoante o tipo de taxa:

  • Até 0,5% do valor em dívida, caso tenha um crédito habitação com taxa de juro variável;
  • Até 2% ,caso tenha formalizado um crédito habitação com taxa de juro fixa.

No entanto, existem bancos dispostos a absorver os custos da transferência de crédito habitação, permitindo que tenha esta alteração gratuitamente.

E, mesmo que possa vir a ter algum custo, mudar o crédito habitação de banco pode compensar o esforço.

Depois de perceber como funciona cada tipo de taxa de juro, tem de se questionar:

  • Prefere pagar um pouco mais de forma constante e jogar pelo seguro?
  • Está mais confortável em pagar consoante as variações da Euribor e assim tirar partido de mensalidades reduzidas?

A resposta a estas questões podem ditar se é melhor para si uma taxa fixa ou variável.

Ambas têm as suas vantagens e desvantagens, e vão afetar de maneira diferente a prestação do seu crédito habitação.

E, se já tem um financiamento de um imóvel e pretende dar um novo rumo às condições iniciais, transferir o crédito habitação permite-lhe obter um novo contrato e mudar o tipo de taxa de juro.

Perguntas Frequentes

Devo Mudar Para Taxa Fixa Em 2023?

Com as subidas da Euribor, ter uma taxa variável significa que a sua prestação pode continuar a aumentar, o que o deixa num clima de incerteza nos próximos meses ou até anos.

Assim, optar por uma taxa fixa pode ajudá-lo a salvaguardar o futuro da sua prestação e a sua saúde financeira.

Porém, tudo indica que este cenário não irá durar para sempre, pelo que é provável que a Euribor volte a descer a médio prazo.

E, neste caso, a taxa fixa pode voltar a ser bem mais elevada do que a variável.

No fundo, optar uma taxa fixa ou variável vai depender se se sente confortável em pagar um pouco mais e jogar pelo seguro com uma taxa fixa, ou se prefere pagar consoante as variações da Euribor.

Posso Mudar de Taxa Variável Para Taxa Fixa?

Sim, se está indeciso entre taxa fixa ou variável, e procura outras soluções saiba que é possível mudar a taxa de juro durante o seu contrato.

Não existe qualquer prazo legal para manter um tipo de taxa com o seu banco.

Isto é, se pretender alterar para uma taxa fixa crédito habitação, basta falar com o seu banco e aguardar retorno da resposta.

Ainda assim, a solução mais competitiva pode passar por uma transferência de crédito habitação.

Para além de conseguir outro tipo de taxa do contrato, pode conseguir um crédito mais barato para si que permita reduzir o valor total do empréstimo.

A nossa equipa pode ajudá-lo a fazer esta análise sem qualquer custo ou compromisso para si.

Quais São os Requisitos Para Mudar a Taxa do Contrato?

Qualquer cliente pode pedir uma alteração de taxa fixa para variável no seu banco atual, estando dependente da resposta da instituição financeira.

Podem, no entanto, existir custos associados, principalmente se pretender alterar de taxa fixa para variável.

Pode ser oportuno olhar para outras ofertas de crédito habitação e pedir uma transferência de crédito habitação.

Quais as Vantagens e Desvantagens da Taxa Variável?

A grande vantagem da taxa variável é que permite conseguir condições de crédito mais baratas e prestações mais baixas, quando a Euribor apresenta valores negativos.

No entanto, quando o valor do indexante dispara, pode resultar numa prestação mais pesada para o orçamento.

Neste caso, a imprevisibilidade da taxa variável é também uma desvantagem para quem tem um crédito.

Quais as Vantagens e Desvantagens da Taxa Fixa?

A grande vantagem da taxa fixa é que permite uma maior segurança em momentos inconstantes do mercado de crédito.

Isto porque a prestação acordada não vai alterar mesmo que a taxa Euribor suba.

Por outro lado, se a taxa Euribor apresentar valores que reduzam a prestação, num crédito com taxa fixa não poderá beneficiar dessa variação.

Procura Solução à Medida?
Procura Solução à Medida?
Conte Com a Nossa Ajuda
SIMULAR JÁ
SIMULAR AGORA!